[Fechar]



[Fechar]



[Fechar]



[Fechar]



[Fechar]

A Ética na representação



Eunice Cruz
Eunice Cruz

Talento são habilidades especiais. Quando você tem talento para determinada atividade, não precisa ficar gritando aos quatro cantos. Suas atitudes e realizações demonstram.

Você está em sua potencialidade máxima quando realiza suas atividades completamente livre de vergonha, medo e culpa e com o máximo de perfeição possível.

Para que você use seus talentos na potencialidade máxima você terá que seguir seus valores, que são as características que determinam seu comportamento e a forma como você interage com outros indivíduos e com o meio ambiente.

Estes valores são determinados pelo que você é, foi e pretende ser. Por isso você precisa estar sempre muito atenta. Cada uma de nós foi  diferente, é diferente e pretende ser diferente. Ninguém foi ou  é  igual a ninguém. Entretanto, muitas desejam ser iguais a outras. Quer seja pelos atributos internos ou externos.


Monica Schimenes


É exatamente neste ponto que acontecem os conflitos. Para ter sucesso, ser bem sucedida ou ser reconhecida você não precisa ser igual a ninguém. Não precisa ser a outra ou desejar a todo custo estar no lugar da outra. Extrapolar as regras hierárquicas e passar à frente da outra não é aconselhável e pode trazer consequências desagradáveis.

Você precisa ser você mesma! Você precisa usar seus talentos na potencialidade máxima e satisfazer seus valores. Sendo você mesma, você terá   brilho próprio e não precisará representar, estar no lugar ou viver o papel da outra. Não precisará passar por cima de ninguém para ter sucesso.

Na vida institucional também temos que ter cuidado, pois enviamos mensagens o tempo todo através de nosso comportamento, linguagem corporal, tom de voz e até nos acessórios e roupas.  As informações são captadas por nossos interlocutores sem que tenhamos que falar. É importante perceber isso e saber exatamente quais são os valores adequados em todos os momentos.

Ao se relacionar com as pessoas, é preciso transmitir na imagem e nas atitudes o que você pretende externar. Por exemplo, se quer passar a ideia de uma pessoa competente, pense sempre antes de falar, busque respostas certas e saiba fazer perguntas que conduzam a raciocínios assertivos.

Se quer parecer confiável, cumpra o que prometer, busque a coerência entre suas ideias e atitudes, saiba ouvir, olhe nos olhos das pessoas e cumprimente com firmeza.
Se quer ser reconhecida, use seus talentos na potencialidade máxima,  satisfaça seus valores sem ferir os valores institucionais, que devem vir em primeiro lugar. Cumpra as regras, respeite os cargos ocupados e não queira ocupar o lugar que não é seu.
Represente a instituição quando  lhe for solicitado, caso isso não tenha ocorrido, ao participar de um evento, informe que pertence, mas não tome para si o encargo de representar.

Representar é falar por alguém, agir no lugar de alguém. Presume-se, é óbvio, que com a autorização da instituição ou da pessoa representada.

Ninguém pode falar ou agir pela instituição sem que para isso tenha as competências e prerrogativas que o cargo ou a representatividade lhe conferem. Sem receber autorização ou a nomeação para representar, não represente, apenas se apresente como pertencente e não como representante.

Você não pode falar ou agir em nome de alguém ou da instituição sem que o detentor da prerrogativa de representar o tenha nomeado,  porque seus talentos, sua potencialidade máxima e seus valores são diferentes. E, principalmente, quando você representa uma instituição, você não pode falar ou agir de acordo com os seus valores e sim pelos valores estatutários e consenso da maioria. A instituição sempre vem em primeiro lugar.

Muitas vezes, no desejo de dar visibilidade, de mostrar participação da instituição e até de contribuir, somos tentadas a representar, sem autorização ou nomeação. A maioria o faz com o sincero desejo de contribuir, mas não se pode deixar de observar aquelas que o fazem para aparecer, o que é reprovável e lamentável.

Assim, quando você for convidada para um evento e entender que é importante a presença  ou participação da instituição a qual pertence e não exerce nenhum cargo que lhe confira a prerrogativa de representação, é de bom tom que antes de se autodenominar representante você obtenha autorização para representar. A detentora do cargo que tem a prerrogativa de nomear, certamente fará a nomeação, se for pertinente e bom para a instituição e você for a representante ideal para a ocasião.

“O sábio não se exibe, e por isso brilha. Ele não se faz notar, e por isso é notado. Ele não se elogia, e por isso tem mérito. E, porque não está competindo, ninguém no mundo pode competir com ele. “ Lao Tsé Tao the King.

 

Retornar Artigos

 
Design by Immaginare
/* Track outbound links in Google Analytics */